Graça Soberana

CENTRADOS NO EVANGELHO: reflexões cristocêntricas sobre a graça e as insondáveis riquezas do evangelho na vida de um desprezível pecador

O evangelho que nos transforma

Aqui vai minha singela tentativa de resgatar em nosso idioma o perspicaz verso de John Bunyan, autor do também fabuloso O peregrino

Quer a Lei, João: “Vai logo, anda!”.
Mas nem pés, nem mãos a Lei te manda.
Melhor nova no Evangelho há:

faz alçar vôo, e as asas dá.

John Bunyan

(Original inglês: “Run, John, run”, the Law demands,/ But gives us feet nor hands./ Much better news the gospel brings;/ it bids us fly but gives us wings.)

Não somente em O peregrino o evangelho se nos apresenta com uma clareza pungente, mas também nesse pequeno, mas altissonante poema, Bunyan faz ressoar com nitidez e força a urgência que temos hoje, bem como nos dias dele, e bem como nos dias de Paulo de uma compreensão bíblica e plena do evangelho, e de uma aplicação eficaz do mesmo evangelho!

E o verso de Bunyan não nos faz lembrar mesmo de Paulo em seu apelo aos gálatas (Gl 3.1-14)?

Ó gálatas insensatos! Quem os enfeitiçou? Não foi diante dos seus olhos que Jesus Cristo foi exposto como crucificado? Gostaria de saber apenas uma coisa: foi pela prática da Lei que vocês receberam o Espírito, ou pela fé naquilo que ouviram? Será que vocês são tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, querem agora se aperfeiçoar pelo esforço próprio? Será que foi inútil sofrerem tantas coisas? Se é que foi inútil! Aquele que lhes dá o seu Espírito e opera milagres entre vocês realiza essas coisas pela prática da Lei ou pela fé com a qual receberam a palavra? Considerem o exemplo de Abraão: “Ele creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça”. Estejam certos, portanto, de que os que são da fé, estes é que são filhos de Abraão. Prevendo a Escritura que Deus justificaria os gentios pela fé, anunciou primeiro as boas novas a Abraão: “Por meio de você todas as nações serão abençoadas”. Assim, os que são da fé são abençoados junto com Abraão, homem de fé. Já os que se apóiam na prática da Lei estão debaixo de maldição, pois está escrito: “Maldito todo aquele que não persiste em praticar todas as coisas escritas no livro da Lei”. É evidente que diante de Deus ninguém é justificado pela Lei, pois “o justo viverá pela fé”. A Lei não é baseada na fé; ao contrário, “quem praticar estas coisas, por elas viverá”. Cristo nos redimiu da maldição da Lei quando se tornou maldição em nosso lugar, pois está escrito: “Maldito todo aquele que for pendurado num madeiro”. Isso para que em Cristo Jesus a bênção de Abraão chegasse também aos gentios, para que recebêssemos a promessa do Espírito mediante a fé.

Sinceramente espero que não apenas a pepita de ouro representada pelo poemeto de Bunyan, mas também e sobretudo o texto sagrado escrito aos gálatas o ajude a refletir sobre o poder apenas disponível no evangelho, no dia de hoje e a cada dia, para que você cresça em semelhança a Cristo! O poder da cruz, o poder do sangue, o poder da graça soberana de encaminhá-lo para a salvação tanto quanto em seu processo de santificação.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: